Práticas Sustentáveis de Produção como Promotoras de                              Conservação da Biodiversidade no Sertão Urucuiano

Patrocinadores e Implementadores

Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos - CEPF é um programa conjunto da Agência Francesa para o Desenvolvimento, Conservação Internacional, União Europeia, Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF), Governo do Japão, Fundação John D. e Catherine T. MacArthur e Banco Mundial, com vistas a oferecer financiamento para proteção de ecossistemas únicos e ameaçados – conhecidos também como hotspots de biodiversidade, em 2013, o Conselho de Doadores do CEPF selecionou o bioma Cerrado como um dos hotspots prioritários. No Brasil, o CEPF conta com o apoio do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), instituição brasileira do terceiro setor dedicada a formar e capacitar pessoas, bem como fortalecer organizações nas áreas de manejo dos recursos naturais, gestão ambiental e territorial e outros temas relacionados à sustentabilidade.

Conheça mais sobre o projeto. Clique na imagem e vá direto para o site.
Conheça mais sobre o projeto. Clique na imagem e vá direto para o site.

O projeto

PROPOSTA - 100641

O projeto terá duração de 2 anos com inicio em abril de 2018 e finalização em abril de 2020. Está previsto um conjunto de ações de promoção à diversificação da produção agroextrativista com manejo sustentável por meio da estruturação coletiva das famílias dentro da Cooperativa de Agricultura para promover e fortalecer as cadeias produtivas associadas com o uso sustentável dos recursos naturais e a restauração ecológica.

Objetivo geral:

  •  Promover à diversificação da produção agroextrativista com manejo sustentável por meio da estruturação coletiva das famílias dentro da Cooperativa de Agricultura Familiar Sustentável com Base na Economia Solidária – COPABASE, abrangendo a região da bacia do Rio Urucuia, um dos principais afluentes do São Francisco.

Objetivos específicos:

  • Disseminar tecnologias e práticas sustentáveis de produção agroextrativista, segurança alimentar e organização socioeconômica nas regiões dos vales do Urucuia e Grande Sertão.
  • Desenvolver ações de promoção, preservação e conservação da biodiversidade do cerrado Urucuiano por meio do envolvimento das famílias rurais, ADRS e rede de organizações parceiras.

Corredor prioritário: Sertão Veredas - Peruaçu

Municípios: Arinos, Riachinho, Bonfinópolis de Minas, Urucuia, Chapada Gaúcha, Uruana de Minas, Natalândia e Pintópolis (Estado de Minas Gerais)

Áreas protegidas: Mosaico Sertão Veredas - Peruaçu, Reserva de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari, Estação Ecológica Sagarana, Parque Nacional Grande Sertão Veredas e Parque Estadual da Serra das Araras.

Fotografia: Odair Rodrigues
Fotografia: Odair Rodrigues

IMPACTOS DO PROJETO

a) 27.926,8 ha de áreas de cerrado com gestão melhorada a partir das orientações para práticas conservacionistas de produção extrativista no cerrado do Vale do Urucuia;

b) Ampliação de 27 para 40 comunidades beneficiadas e atendidas por meio de visita;

c) Desenvolvimento de no minimo 4 novos produtos a partir do cerrado com habilitação para o mercado até o fim do projeto

d) Aumento do numero de mulheres e jovens diretamente associados e produzindo junto aos empreendimentos produtivos ligados a cooperativa;

e) Aumento do volume de produtos comercializados em 30% relação ao ano anterior, bem como do faturamento dos empreendimentos produtivos;

f) Aproximadamente 5.000 mudas nativas e frutíferas do cerrado, produzidas e ofertadas pela cooperativa para reflorestamento de áreas degradas e implantação de sistemas;

g) 10 mecanismos de comunicação divulgados em sites ou redes sociais como forma de disseminar as praticas produtivas adotadas;

h) Ao menos 3 novas metodologias de plantios ou produção agroextrativistas criada e divulgada ;

i) Estruturação de uma REDE NACIONAL EM DEFESA PROMOÇÃO E CONSERVAÇÃO DO CERRADO URUCUIANO;

j) 250 pessoas diretamente envolvidas sendo 40% mulheres e 20% jovens em praticas produtivas;

k) No mínimo 10 metodologias de práticas sustentáveis de conservação e de produção agroextrativista divulgadas em âmbito global pela COPABASE, durante execução do projeto;

l) Realização de 24 atividades de formação para melhor gerenciamento dos recursos naturais no cerrado;

m) No mínimo 1000 pessoas atingidas para melhoria da capacidade organizacional, por meio das palestras, visitas, formação, praticas produtivas realizadas pela cooperativa durante projeto;

n) 01 Cooperativa agroextrativista (COPABASE) fortalecida e reconhecida como promotora de práticas conservacionistas e de sistemas agroextrativistas.



 Mecanismos de Reclamações ou Sugestões no seguinte caminho/método:

Contatar primeiro a Entidade Executora do projeto COPABASE, situada em Arinos-MG por meio dos números de telefones (38)99110-0091 WhatsApp ou (38) 99908-7610, ou pelo site www.copabase.org, ou por email: projetos.copabase@gmail.com, faremos o possível para responder em até 5 dias. Caso sua solicitação não seja atendida contatar a Equipe de Implementação Regional do CEPF pelo email cepfcerrado@iieb.org.br,  (61) 3248 7449 e o Diretor Executivo do CEPF: cepfexecutive@conservation.org. Caso ainda não tenha solução, em último caso, contatar o escritório local do Banco Mundial: informacao@worldbank.org, (61) 3329-1000. A Equipe da COPABASE compartilhará todas as queixas, e a resposta proposta com a Equipe de Implementação Regional e o Diretor de Subsídio do CEPF dentro de 15 dias a partir do recebimento da solicitação.